Copacol é destaque em congresso internacional

O pioneirismo da Copacol na implantação do sistema integrado de piscicultura no Brasil esteve em destaque no 2º International Fish Congress e na 2ª Fish Expo Brasil 2020, realizado virtualmente nesta semana, por meio de estúdios instalados em Foz do Iguaçu.

O diretor-presidente da cooperativa, Valter Pitol, participou do segundo dia do evento, ao lado do presidente da Ocepar (Organização das Cooperativas do Paraná), José Roberto Ricken.

O início da piscicultura por meio da integração da Copacol teve como impulso a necessidade dos cooperados que já atuavam com a atividade nas propriedades. “Nossos cooperados tinham tanques com tilápia, mas enfrentavam dificuldade na comercialização. Havia essa necessidade e realizamos estudos sobre a viabilidade. Quando constatamos que era possível investimos no sistema para garantir total segurança aos cooperados. Estruturamos o sistema de integração de maneira pioneira agora somos um exemplo, com segurança e tecnologia”, afirma Pitol.

Do banco genético até a comercialização, a Copacol oferece aos cooperados uma cadeia completa para a produção de tilápia. A UPA (Unidade Produtora de Alevinos) possui matrizes para as safras de tilápias. Por ano são mais de 53 milhões de alevinos para atender os mais de 230 pequenos produtores integrantes da Cooperativa. A espécie tem acompanhamento diário, com aplicação de vacinas e verificação da capacidade de ganho de peso para o melhor resultado do produto final.

Além de fornecer os próprios alevinos, a Cooperativa é que abastece as propriedades com a ração para todos os integrados, realizando no fim no ciclo a despesca e a industrialização nas duas unidades frigorificadas – uma em Nova Aurora, com produção diária de 140 mil tilápias por dia e outra em Toledo, com capacidade para 40 mil tilápias/dia. Com o sistema pioneiro no Brasil, a Cooperativa recebeu o título de maior produtora de tilápias da América do Sul.

Neste ano, a Cooperativa adquiriu a nova Unidade Industrial de Peixes, em Toledo, onde o abate médio é de 20 mil tilápias/dia, que será elevado conforme a produção de alevinos/juvenis e a participação de novos cooperados. A estrutura pode atingir até 80 mil tilápias abatidas por dia, o que deve ocorrer até 2023.

A tilápia vem ganhando força nos últimos anos, alcançando inclusive espaço no mercado externo. O produto originário de pequenas propriedades do interior do Estado está chegando até Miami, Estados Unidos. Após 48 horas do abate, o produto resfriado já está nas gôndolas dos supermercados. “Nosso propósito é dar estabilidade e suporte econômico aos produtores, para que possam diversificar com segurança suas atividades. Adquirimos a nova unidade em Toledo para oferecer aos cooperados mais oportunidades, pois muitos queriam iniciar a atividade. Além disso, estamos dando novos passos para garantir melhor espaço do nosso produto, comercializando nossa tilápia resfriada nos Estados Unidos”, diz Pitol.

PRODUÇÃO: – A piscicultura vem se destacando no Paraná – estado reconhecido nacionalmente pela produção de grãos e aves. O Paraná é responsável pela produção de 33,8% da tilápia em todo o País – é o líder em uma atividade que só cresce. A espécie de pescado representa 57% de toda a piscicultura brasileira. O estado produziu ano passado 146,2 mil toneladas da espécie – só a Copacol foi responsável por 42 mil toneladas.

 

Siga nossa página no facebook: facebook.com/gazetagoioere

E nosso Instagram: @gazetagoioere

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe da Gazeta Regional pelo WhatsApp (44) 3522-2537 ou entre em contato pelo (44) 3522-2537.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!