Essa notícia é falsa ou verdadeira?

A indicação de uso de alimentos para prevenir e combater doenças não é algo novo, essa história se confunde com a história da humanidade. No entanto, o uso popular de alimentos para essa finalidade tornou-se, nas últimas décadas, objeto de estudo de pesquisadores de diferentes áreas. Como resultado de inúmeros trabalhos realizados nesse sentido, hoje temos disponíveis uma grande quantidade de informação sobre quais alimentos podem contribuir para a promoção da saúde do ser humano, e como esses alimentos atuam sobre certas doenças.

Em 2020, e ainda nesse ano, vimos com frequência a circulação em diferentes redes sociais notícias informando que alimentos com pH básico ajudam a prevenir e matar o coronavírus. Diferentes variantes dessa notícia estão, ainda hoje, disponíveis e foram impressas e fixadas em supermercados próximos a seção de hortifruti. Em comum entre as variantes dessa notícia podemos observar o uso do termo pH, um número que expressa a acidez ou a basicidade de soluções aquosas. Trata-se de uma escala numérica na qual números próximos a zero indicam soluções com caráter ácido, o vinagre, por exemplo, possui pH em torno de 2,7. No outro extremo da escala, números próximos a 14 indicam soluções com caráter básico, a soda cáustica líquida 50% (utilizada com frequência para produção de sabão), por exemplo, possui pH 14. Soluções e produtos com pH próximos aos extremos indicados são corrosivos e, obviamente, não podem ser manipulados sem equipamentos de proteção.

Como você deve ter percebido, os valores de pH indicados nessas notícias veiculadas na redes sociais estão todos errados, sejam os relacionados aos alimentos e até o que indica que “o COVID-19 é imune a organismo com pH maior que 5,5”. Segundo essas notícias, o abacate, por exemplo, teria pH 15,6, mais básico do que a soda cáustica, logo seria extremamente corrosivo e seria impróprio para consumo. Além disso, nosso organismo possui sistemas que controlam os pH de diferentes orgãos do nosso corpo, os alimentos ingeridos praticamente não influenciam em mudanças de pH em nosso corpo. Nesse sentido, as eventuais contribuições dos diferentes alimentos não estão relacionadas à mudanças de pH em nosso corpo. Mas sim, pela presença de diferentes nutrientes que contribuem para melhorar o sistema imunológico, que defende o corpo de doenças, vírus, bactérias, micróbios e outros.

A conclusão é que essas notícias são falsas (Fake News), as pessoas que criaram e modificaram essas notícias indicaram uma condição na qual nosso organismo seria imune ao coronavírus, essa informação seria do Centro de Virologia na Rússia, e foi utilizada para dar credibilidade a notícia. No entanto, desconsiderando os erros relacionados aos valores de pH, a notícia, por si só, não tem coerência interna e não há respaldo de estudos científicos que indiquem a relação entre consumo de alimentos e prevenção ou combate ao coronavírus.

Caro leitor, você tem dúvida sobre a veracidade do discurso científico presente em alguma notícia recebida via redes sociais, envie a notícia para nós! Iremos avaliar e posteriormente publicaremos nossas considerações sobre essa notícia.

 

Prof. Dr. Adriano Lopes Romero

Universidade Tecnológica Federal do Paraná – câmpus Campo Mourão

e-mail para contato: [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!