Volta às aulas será o 1º desafio dos novos gestores municipais

O primeiro grande desafio dos novos gestores municipais, que assumirão as prefeituras partir do dia 1º de janeiro, será decidir como serão as aulas durante o ano de 2021.

Por conta da pandemia da Covid-19, as aulas foram suspensas em março e novos prefeitos terão que decidir se elas voltam a ser presenciais, remotas ou em um modelo misto, como está sugerindo o governo estadual.

Levantamento feito pelo governo federal, através da Agência Brasil, com especialistas sobre as ações que são esperadas dos novos gestores e o papel dos municípios na educação, apontou que a maioria dos municípios não tem ainda previsão de volta às aulas presenciais.

Na opinião dos especialistas, essa é uma questão séria que terá que ser resolvida, mas o cenário não é favorável, já que os índices de contaminação da Covid tem aumentado a cada dia que passa.

“O início das novas gestões em 2021 se dará em um contexto inédito e talvez no contexto mais desafiador da história da educação brasileira, por conta da pandemia e do fechamento prolongado das escolas”, afirma o líder de Políticas Educacionais do Todos pela Educação, Gabriel Corrêa.

Na opinião dele, os novos gestores precisarão, inicialmente, dar muita ênfase às ações de retomada das aulas presenciais, quando isso for permitido pelas autoridades sanitárias. “Infelizmente são grandes os impactos trazidos pela pandemia, não só para os alunos, mas também para professores e comunidade escolar”, diz Corrêa.

Além de ações emergenciais, os gestores têm uma série de obrigações a cumprir durante o mandato. De acordo com a Constituição brasileira, os municípios são prioritariamente responsáveis pelas etapas iniciais da educação – creche, pré-escola e primeiros anos do ensino fundamental, do 1º ao 5º ano. Cabe a eles, portanto, a tarefa de alfabetizar as crianças.

Segundo o PNE (Plano Nacional de Educação), que estabelece metas para melhorar a qualidade da educação no Brasil até 2024, o país precisa ampliar as vagas em creches, para crianças até 3 anos de idade. Até 2024, 50% delas devem estar matriculadas – os últimos dados, de 2018, mostram que o atendimento chega a 35,7%.

REGIÃO: Na região, em especial em municípios da Comarca de Goioerê, desde que a pandemia começou, nenhum município apresentou algum tipo de plano para a retomada das aulas.

O prefeito eleito, Betinho Lima, diz que há uma preocupação muito grande com o tema e que Goioerê deverá seguir as orientações do governo estadual.

 

Siga nossa página no facebook: facebook.com/gazetagoioere

E nosso Instagram: @gazetagoioere

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe da Gazeta Regional pelo WhatsApp (44) 3522-2537 ou entre em contato pelo (44) 3522-2537.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.