Verde, amarela, vermelha e preta: bandeiras na orla ajudam a orientar banhistas

O Verão Maior Paraná foi lançado neste sábado (16) e com ele começa uma nova temporada de diversão e descanso. E para que este momento seja apenas de lazer, é fundamental que a população conheça o sistema de segurança utilizado pelo Corpo de Bombeiros Militar do Paraná (CBMPR) para sinalizar condições de banho e eventuais pontos de perigo. Nesse verão, estarão sinalizados 95 pontos e cinco municípios (Antonina, Morretes, Pontal do Paraná, Matinhos e Guaratuba). Eles estarão protegidos por 100 guarda-vidas civis e 677 bombeiros militares.

A primeira sinalização a ser conhecida é a bandeira dividida em duas cores (metade vermelha e metade amarela). Ela indica que aquela área está constantemente monitorada e protegida por guarda-vidas. “É o local que as pessoas devem procurar para ter um banho seguro”, orienta o major Fabrício Frazatto dos Santos, comandante do 8º Grupamento de Bombeiros (8º GB), com sede em Paranaguá.

Outra bandeira que assegura condições boas de banho é a verde, que indica risco mínimo de incidentes. A bandeira amarela simboliza sinais de alerta, com presença de fatores de risco que exigem cuidado dos veranistas.

A bandeira vermelha significa que o local é inadequado para banho, apresentando alto risco de afogamento. A bandeira preta, por sua vez, aponta a ausência de postos fixos de guarda-vidas, o que eleva o perigo em casos de afogamento, não sendo um local indicado para banho.

“Há patrulhamentos nesses locais com uso de tático-móveis, quadriciclos, motocicletas, bicicletas, orientando as pessoas que estão ali a procurarem os locais protegidos, onde estão os nossos postos de guarda-vidas”, relata o major Frazatto.

Para informar que o espaço está interditado para banho devido a fatores de segurança, tais como chuva muito forte, ressaca, alta incidência de raios, quantidade excessiva de águas vivas ou caravelas, entre outros, o Corpo de Bombeiros utiliza a bandeira duplo vermelha (duas bandeiras vermelhas no mesmo mastro). Nessas ocasiões, ninguém deve permanecer na praia, inclusive os guarda-vidas.

193 – Tempo é fator crucial para o bom resultado das operações de socorro. É importante que sempre que alguém visualize uma outra pessoa numa situação de risco, não procure ajudá-la se não tem condições e capacidades para fazer o resgate. A orientação é ligar 193 e, no máximo, alcançar um objeto flutuante para a vítima.

CACHOEIRAS E RIOS – No caso de outras fontes de água, os cuidados devem ser redobrados. Em rios, não é aconselhável saltar de cabeça, especialmente em locais em que não se conhece a profundidade e a presença de pedras. Em cachoeiras o alerta é para trombas d’água após chuvas fortes.