Até prefeita paraguaia ganhou Auxílio Emergencial do governo brasileiro

A prefeita de Carmelo Peralta, cidade paraguaia que faz fronteira com Porto Murtinho, no Mato Grosso do Sul, aparece na lista de beneficiários do Auxílio Emergencial do governo brasileiro, noticiam os jornais paraguaios Última Hora e ABC Color, baseados em denúncia publicada no portal Campo Grande News.

O nome de Mirna Orrego de Segovia aparece como beneficiária na lista publicada no Portal da Transparência, administrado pela Controladoria Geral da União.

Na plataforma, consta que foi liberado o benefício de R$ 600 em abril deste ano para Mirna de Segovia, mas não se sabe se o dinheiro foi retirado e não há registro de outras transferências.

A prefeita explicou ao portal sul-mato-grossense que, quando residia com a família em Porto Murtinho, a filha dela estudava no Brasil. Foi quando se cadastrou e conseguiu obter ajuda financeira do programa Bolsa Família, em uma conta no Banco do Brasil.

Mirna de Segovia disse que tem um identificador ativo do tempo que recebia o Bolsa Família, e deve ser por isso que consta como beneficiária do Auxílio Emergencial. “Deve ser isso, porque não fiz esse registro, as fronteiras estão fechadas. Ou então alguém se registrou com meu nome.” Ela não sabe se o dinheiro está na conta.

O Auxílio Emergencial é um benefício financeiro destinado a trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEI), autônomos e desempregados, no período de enfrentamento à crise causada pela pandemia do novo coronavírus

A fronteira

Carmelo Peralta e Porto Murtinho, hoje separadas pelo Rio Paraguai, serão unidas pela ponte que será financiada pelo lado paraguaio da Itaipu Binacional.

Cinco consórcios de empresas competem para a execução da ponte, que permitirá, no futuro, a ligação bioceânica entre os portos de Santos e Paranaguá com os portos do Pacífico, no Chile. A ponte tem custo previsto de US$ 75 milhões. (Foto e informações H2Foz)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.