Eliminar criadouros do mosquito deve ser trabalho constante para a combater dengue

A Secretaria de Saúde do Paraná está reforçando o alerta aos municípios sobre a necessidade de eliminação de criadouros do mosquito transmissor da dengue. O secretário Beto Preto lembra que a dengue é uma doença já conhecida e que pode levar a morte.

“Estamos vivendo a pandemia pela Covid-19, mas as outras doenças não pararam de fazer vítimas, a dengue é uma delas. Porém, para prevenir a dengue, nós sabemos o que fazer, não é novidade. Precisamos acabar com espaços e objetos acumulados que acumulam água, esses são os criadouros do mosquito.”

De acordo com dados do último boletim estadual, os depósitos ou criadouros passíveis de remoção são os locais onde mais foram identificadas amostra de água com depósitos positivos para o mosquito causador da Dengue, Zika e Chikungunya. Foram encontradas larvas e pupas do mosquito em 6.125 locais. Entre eles 2.283, ou 37,4%, estavam em recipientes plásticos, garrafas, latas, sucatas em pátios e ferro velhos e entulhos de construção.

Na sequência, os depósitos mais comuns para o mosquito se acomodar e reproduzir, com 1.584 locais positivos para o Aedes aegypti são vasos de flores, frascos com água, pratos, pingadeiras, recipientes de degelo em geladeiras, pequenas fontes ornamentais, materiais estocados para construção civil e objetos religiosos.

GOIOERÊ: – Em Goioerê, o trabalho de combate à dengue tem sido intensificado, mas as chuvas dos últimos dias acabaram prejudicando a ação dos agentes de endemias.

Ana Flávia Costa, chefe da Vigilância Sanitária, explica que a falta de colaboração da população tem sido um problema para a saúde. “O poder público tem buscado fazer a sua parte, mas infelizmente a população tem deixado a desejar’, destaca ela.

Para Ana Flávia, ações individuais dos moradores são fundamentais para evitar casos de dengue. “Dentro da nossa casa, do nosso terreno, da nossa loja ou outro espaço que ocupamos, temos o dever de eliminar espaços e objetos que possam acumular água. Essa ação parece boba, mas é com a simplicidade que podemos eliminar as larvas do mosquito e não deixar que ele contamine pessoas”, lembra.

BLOQUEIO: A Vigilância Sanitária realizou na última quinta-feira, bloqueio contra a dengue no bairro Santa Casa. A ação ocorreu nas proximidades do Samu, onde reside uma pessoa que está com sintomas da doença.

A diretora da Vigilância Sanitária, Ana Flavia Costa, explica que esta é uma ação que ocorre quando há um caso suspeito. Atualmente são 2 casos suspeitos em Goioerê e um total de 118 notificações, 115 negativos e apenas um caso confirmado.

DADOS: Ainda sobre a situação da dengue em Goioerê, levantamento feito no mês passado, aponta que a incidência do mosquito transmissor da doença na cidade, é de 9.4%, muito acima do aceitável pela Organização Mundial de Saúde – OMS – que é de apenas 1%.

 

Siga nossa página no facebook: facebook.com/gazetagoioere

E nosso Instagram: @gazetagoioere

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe da Gazeta Regional pelo WhatsApp (44) 3522-2537 ou entre em contato pelo (44) 3522-2537.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!