Polícia Civil investiga empresa contratada na gestão de ex-prefeito de Goioerê

Policiais do Núcleo de Combate à Corrupção da Polícia Civil de Foz do Iguaçu, estiveram na Prefeitura de Goioerê na manhã desta quinta-feira, em busca de documentos de um processo licitatório do ano de 2018, envolvendo uma empresa fornecedora de peças e serviços de maquinários pesados.

CLIQUE E RECEBA AS NOTÍCIAS DE GOIOERÊ E REGIÃO NO WHATSAAP

A operação visa desmontar uma organização criminosa, que segundo a Polícia Civil, utilizava empresas de fachada responsáveis por fraudes em processos licitatórios em várias prefeituras do Paraná.

Além de Goioerê, a operação fez buscas em outras 18 prefeituras do estado.

CRIMES – De acordo com as informações, as investigações tiveram início em março de 2019 com intuito de apurar as irregularidades na aquisição de peças de reposição de máquinas pesadas, que compõem a frota de veículos da Prefeitura de Missal.

Posteriormente, foi apurado que os crimes estavam ocorrendo em outros municípios da região Oeste e durante as diligências, a Polícia Civil constatou que havia o recebimento de peças como sendo novas, o superfaturamento de preços e o pagamento de peças que não eram entregues ou utilizadas.

Conforme a Polícia Civil, há indícios de fraudes e acertos indevidos em licitações de 2017, 2018 e 2019. Os suspeitos são investigados pelos crimes de corrupção ativa e passiva, além de organização criminosa.

GOIOERÊ: – Em Goioerê, segundo as informações, o processo investigado pela Polícia Civil é de 2018, à época do ex-prefeito Pedro Coelho. “É um processo de 2018, que não tem nada a ver com a nossa administração”, esclareceu o prefeito Betinho Lima, durante coletiva à Imprensa na manhã desta quinta-feira.

CONTRATO: – O contrato da empresa investigada pela Polícia Civil com a Prefeitura de Goioerê, é de R$ 152 mil. Desse total, consta que a administração passada pagou cerca de R$ 95 mil para a empresa.

WhatsApp