Em 2023 a Copacol bateu o recorde de esmagamento de soja: foram 676,3 mil toneladas

Copacol bate recorde de esmagamento de soja
A Copacol esmagou em 2023 a maior quantidade de soja da sua série histórica: foram 676,3 mil toneladas, o que corresponde a 11,2 milhões de sacas da oleaginosa. A média foi de 1,9 mil toneladas esmagadas por dia.

CLIQUE E RECEBA AS NOTÍCIAS DE GOIOERÊ E REGIÃO NO WHATSAAP

Prestes a completar 12 anos de funcionamento, a UIS (Unidade Industrial de Soja) da Cooperativa, anualmente, vem aumentado sua capacidade de esmagamento. De acordo com o supervisor, Euclides Braun, três fatores foram essenciais para o número recorde: equipe capacitada e engajada, disponibilidade de matéria-prima e a boa utilização da planta. “Chegar a esse resultado foi um desafio, mas o bom trabalho feito pelo produtor a campo – que entregou 12,5 milhões de sacas de soja para a Cooperativa – permitiu que alcançássemos o nosso maior potencial produtivo até agora. Isso mostra que estamos evoluindo, com uma estrutura moderna que nos permite receber toda a produção do cooperado e entregar um produto de qualidade para as Fábricas de Rações, que destinam o produto final aos integrados da Cooperativa”.
A UIS possui quatro armazéns que tem capacidade de 50 mil toneladas cada: isso permite uma autonomia de três meses de trabalho para a Unidade. A planta industrial processou soja durante 356 dias no ano. “Alcançar um resultado assim nos enche de orgulho. Isso demonstra o comprometimento da Cooperativa em atender às necessidades do nosso cooperado, que anualmente também vem aumentando a sua produtividade no campo. Além disso, mostra que temos muitas oportunidades para continuar ampliando nossa capacidade produtiva”, afirma o gerente de Cereais, Adauto Canello.

SIGA- NOS NO INSTAGRAM
Todo o grão recebido pela UIS é transformado em farelo e óleo degomado. Parte dessa produção é destinada a alimentação animal, para as integrações da Cooperativa, e o excedente é comercializado para o mercado externo. Para atender a demanda crescente, a planta industrial passou por adequações, especialmente quanto às tecnologias adotadas, para garantir o processamento de toda a produção que é recebida a cada safra.

TEXTO E FOTOS: COMUNICAÇÃO COPACOL