Lindomar Vital: a dor de um luto sem despedida

Ao longo dos últimos dias, Goioerê vem assistindo a uma escalada de novos casos de coronavirus e o aumento no número de mortes em decorrência da doença. Já são 11 óbitos, segundo dados da Secretaria de Saúde.

As últimas duas mortes foram registradas na madrugada desta quinta-feira, dia 23. As vítimas – Fidelsino de 88 anos e Lindomar Vital de 45 anos.

Lindomar, que trabalhava no Prestar, é daqueles homens que a gente chama de herói, pois enquanto pode e teve forças, lutou bravamente na linha de frente à Covid-19.

Motorista, que auxiliava no transporte daqueles que tiveram a vida interrompida em decorrência da doença, buscou garantir, a todos quanto pode, um sepultamento digno, alentando as famílias que não puderam velar e nem dar o último adeus ao seus entes queridos.

Lindomar se foi. Ele deu a vida para ajudar as pessoas. E diante disso vale uma reflexão: o que temos feito para inibir o avanço e a propagação dessa doença letal, que não escolhe sexo, idade ou profissão?.

A prefeitura do município, através da Secretaria de Saúde, tem buscado fazer sua parte, mas e você, enquanto cidadão, o que tem feito?

Quantos outros ‘Lindomar’ terão que nos deixar, para que sejamos sensibilizados de que não podemos promover festinhas nos finais de semana, churrascos e outros eventos que promovam aglomeração de pessoas?. O momento é para refletirmos.

Lindomar se foi. Mas enquanto pode foi valente, lutou e como disse o Apóstolo Paulo: “Combati o bom combate, acabei a carreira e guardei a fé”. (Foto Goionews).

A redação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!