Copacol apoia projeto de repovoamento do Rio Piquiri

Pioneira entre as cooperativas do agronegócio em adotar o sistema integrado de piscicultura no País, a Copacol cumpre e apoia todas as normas que são exigidas pelos órgãos ambientais para produção de peixes, em especial na sua área de atuação.

Como a maioria dos municípios do Oeste, região onde ela atua, margeia o Rio Piquiri, a ação se concentra neste afluente. A Associação de Pescadores do Município de Nova Aurora, Nova Pesca, realizou a soltura de 10 mil peixes juvenis da espécie Piapara, doados pela Copacol.

A ação ocorreu na comunidade de Universo, na ponte entre os limites de Nova Aurora e de Quarto Centenário, respeitando o protocolo contra a Covid-19.

A Copacol participou com toda a logística, desde a retirada (despesca) dos peixes da propriedade do cooperado Dioniso Mezzon, em Nova Aurora, transporte com caminhão estruturado com toda a tecnologia para o bem-estar e segurança dos peixes durante a viagem e disponibilizou equipe especializada de colaboradores para o alojamento.

DOAÇÕES
Além dos alevinos, a Cooperativa doou também a ração usada na alimentação dos peixes até que tivessem tamanho adequado para a despesca. Os 10 mil alevinos com oito centímetros foram transformados, dentro do viveiro, em peixes juvenis, com tamanho de 20 centímetros.

O gerente da integração de Piscicultura da Copacol, Nestor Braun, coordenou todo o trabalho. “A Copacol sempre apoiou inciativas com essa, que vem de encontro a preservação ambiental, pois é justamente esse um dos propósitos da Copacol”, afirma Nestor.

MEIO AMBIENTE
O presidente da Nova Pesca, Luiz Eduardo Menkes, explica que a proposta de repovoar o Piquiri está pautada na conscientização. “Onde só se tira uma hora acaba. Desde o início deste projeto já soltamos 300 mil peixes, sempre como o apoio da Copacol. Isso mostra a nossa preocupação com o meio ambiente e com as futuras gerações de pescadores e a população em geral”, explica Eduardo.

RIO PIQUIRI
A bacia hidrográfica do Rio Piquiri abrange uma área de drenagem igual a 24.156 quilômetros quadrados, da nascente localizada em Serra do São João, no limite dos municípios de Turvo e Guarapuava, percorrendo cerca de 660 quilômetros até sua foz, no Rio Paraná, entre Altônia e Terra Roxa, passando por 32 municípios.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.