Secretaria da Saúde apresenta ações para combater a dengue

Preocupada com a doença que já registrou 222 mil casos confirmados e 177 mortes, a Secretaria de Estado da Saúde apresentou na sexta-feira passada, o plano de ação de enfrentamento à dengue para 2020/2021.

O plano, elaborado com aval do secretário Beto Preto, contém ações dos cinco componentes do Programa Nacional de Controle da Dengue, que são: vigilância epidemiológica, controle vetorial, assistência, gestão e comunicação.

O documento foi elaborado pela Diretoria de Atenção e Vigilância em Saúde, da Sesa, com atividades e mecanismos que devem ser implementados diante dos níveis de incidência, números de casos notificados e confirmados e ocorrência de óbitos suspeitos por dengue.

Além de novas formas de combate, duas grandes inovações estão previstas no Plano de Ação:  a testagem qualificada para dengue, em parceria do Laboratório Central do Estado e Universidades Estaduais, bem como a inversão da lógica do atendimento ao infectado que terá como porta de entrada a Atenção Primária à Saúde, evolvendo as equipes municipais para avaliação de risco e primeiro atendimento ao paciente.

VIGILÊNCIA: – O novo plano estadual orienta para o Diagrama de Controle, instrumento desenvolvido com dados do Sinan (Sistema de Informações de Agravos de Notificação), disponível para todas as regionais de saúde e municípios com o objetivo de desencadear as respostas para cada nível de ação.

Serão implantadas unidades sentinelas para arboviroses nas 22 Regionais de Saúde, que farão a coleta de amostras de casos suspeitos de dengue, com acondicionamento, armazenamento e envio para o exame específico pelo método RT-PCR.

VETORIAL: – As ações de controle vetorial passam por processo de modificação devido às restrições e cuidados diante da pandemia da Covid-19. Entre as propostas, a aplicação de novas formas de controle biológico e utilização de larvicidas também biológicos, além da continuidade de ações para remoção técnica de criadouros do mosquito Aedes aegyti.

ASSISTÊNCIA: – Na área da assistência, o Plano de Ação prevê a capacitação e atualização de profissionais da área sobre protocolos de manejo clínico da dengue e organização de fluxo de atendimento local, especialmente nos períodos de ocorrência de maior número de casos.

UNIVERSIDADES: – Outra novidade apresentada é a participação de universidades no monitoramento. Parceria da 15ª Regional de Saúde de Maringá com a Universidade Estadual de Maringá, Uningá e Cesumar disponibilizará um painel interativo, em tempo real, com os principais números de ocorrências de dengue no estado.

SOCIEDADE: – “Além de todas as medidas apresentadas, salientamos que a participação da comunidade é fundamental no combate ao Aedes aegypti”, lembra o secretário Beto Preto. “Cerca de 90% dos criadouros do mosquito estão nos quintais e ambientes internos das residências, e para que este plano seja efetivado é necessário o apoio e ajuda da população na remoção dos focos”.

 

 

Siga nossa página no facebook: facebook.com/gazetagoioere

E nosso Instagram: @gazetagoioere

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe da Gazeta Regional pelo WhatsApp (44) 3522-2537 ou entre em contato pelo (44) 3522-2537.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.