Juliana: mulher virtual atua para presidiários no golpe dos nudes

A Polícia Civil de Goioerê investiga o golpe da ‘Juliana’, que estaria sendo aplicado por um grupo de presidiários.

De acordo com algumas vítimas, que registraram boletim de ocorrência na Delegacia – todos do sexo masculino – os presos usam uma mulher ‘virtual’, identificada como Juliana, que mantém contatos pelas redes sociais, trocando mensagens e mandando fotos íntimas.

Como os homens também mandam fotos íntimas, em um determinado momento, um preso se passa por pai da Juliana, exigindo valor em dinheiro e ameaçando que passaria as fotos para a esposa e demais familiares da vítima. 

Ato seguinte, um suposto advogado liga para a vítima e faz uma proposta, que consiste no pagamento de um determinado valor, para que o caso seja encerrado. Pelo menos três casos de trocas de mensagens com a ‘Juliana’ já foram registrados em Goioerê.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.