Sem equipamentos de proteção, coveiros enfrentam riscos no cemitério de Goioerê

Pés e mãos desprotegidos e trabalhadores expostos a perigos, em especial nesse período de pandemia do coronavirus. Assim tem sido a rotina dos funcionários – em especial dos coveiros que atuam no cemitério de Goioerê.

A denúncia foi feita nesta segunda-feira, pelo vereador Agilson Flausino, durante sessão plenária da Câmara Municipal. “Isso não é brincadeira. A administração municipal precisa tomar uma providência, pois a saúde destes trabalhadores corre risco”, destacou o vereador.

De acordo com Agilson, funcionários do cemitério estão totalmente desprotegidos, uma vez que a prefeitura não faz o repasse de EPIs – Equipamentos de Proteção Individual. “Eles fazem sepultamentos, limpeza de túmulos e até a retirada dos ossos com as mãos descobertas”, denunciou.

O vereador denunciou ainda, que faltam luvas, calçados e roupas apropriadas para os funcionários trabalharem. “Se a prefeitura não tomar uma providência, vou acionar o Ministério do Trabalho, para que em um dia de sepultamos, os fiscais vejam a situação que estou relatando e denunciando”, ameaçou. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!