Novo decreto volta a impor medidas restritivas para evitar aglomerações

O prefeito Nilson Cardoso, de Mariluz, baixou decreto anteontem, restringindo atividades comerciais e outras atividades que podem gerar aglomerações, inclusive reuniões familiares. A medida vem depois da explosão de casos de Covid-19 na cidade, com cerca de 100 somente neste mês de novembro.

De acordo com o decreto, estão suspensas, por um período de 15 dias, atividades em igrejas, templos religiosos e praças desportivas e congêneres, que possam ter aglomerações de pessoas.

Lojas de conveniências, inclusive de postos de combustível, poderão permanecer abertas, mas é vedado o consumo de bebidas e alimentos nestes locais.

Ainda de acordo com o decreto, restaurantes e lanchonetes com 50% da capacidade, sendo vedada a colocação de mesas em calçadas. Bares podem funcionar até às 22 horas, mas sem colocação de mesas nas calçadas. Em todos os casos está proibida a aglomeração de pessoas nos estabelecimentos.

O decreto também prevê restrições nas residências, ficando proibida a aglomeração de pessoas, mesmo em eventos familiares, em especial com participação de pessoas de grupos de risco, como idosos e doentes. Velórios deverão ter a menor duração possível e aberto somente a familiares da pessoa morta.

As restrições já estão em vigor e têm validade de trinta dias, podendo as normas serem revistas a qualquer momento.

Siga nossa página no facebook: facebook.com/gazetagoioere

E nosso Instagram: @gazetagoioere

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe da Gazeta Regional pelo WhatsApp (44) 3522-2537 ou entre em contato pelo (44) 3522-2537.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.