Saúde

Saúde quer fortalecer atenção primária para os portadores de transtorno mental

A prefeitura de Goioerê, através da Secretaria de Saúde, está buscando fortalecer a atenção primária, como instrumento fundamental no acompanhamento e tratamento de pessoas portadoras de transtorno mental. O tema foi assunto de importante reunião realizada durante a última quinta-feira, com enfermeiras e profissionais que trabalham no setor.

De acordo com a enfermeira Roseli Macari, a reunião contou com a participação de profissionais das Unidades Básicas de Saúde, que foram orientadas sobre a estratificação de risco de saúde mental. “Goioerê tem uma grande quantidade de pessoas com transtorno mental e a gente precisa estratificar isso”, disse ela.

Ao falar em estratificar, Roseli esclarece que a ação se resume em classificar e direcionar para o setor competente cada paciente identificado. “Uns têm maior incidência, outros menos. Com essa estratificação a gente vai conseguir classifica o usuário em baixo, médio e alto risco e, a partir disso, o profissional pode verificar qual ponto de atenção atende melhor às necessidades dele e como deve ser confeccionado seu plano de cuidados”, explicou.

Roseli cita que em alguns casos, pode haver o encaminhamento para o CAPS - Centro de Atenção Psicossocial, ou ser tratado na própria UBS. “A Atenção Primária é justamente pra isso, identificar e encaminhar os casos mais leves para que sejam atendidos na própria Unidade de Saúde”, comentou, acrescentando que com a estratificação de risco, os encaminhamentos são realizados com mais segurança e alguns casos de transtornos mentais são tratados no próprio ambulatório.