Variedades

Parcerias com municípios vão reforçar a vigilância sanitária no estado do Paraná

A suspensão da vacinação contra a febre aftosa nos rebanhos do Paraná e a necessidade de ampliar a vigilância sanitária nos municípios foram os destaques da apresentação do secretário de Estado da Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara, nessa quinta-feira (31), no encontro Governo 5.0, em Foz do Iguaçu.

O novo status sanitário, que culminará no selo de área livre de vacinação, em 2021, permitirá ao Paraná alcançar novos mercados na cadeia de exportação das carnes.

Com o fim da vacinação, o estado inicia campanha de cadastramento obrigatório de um rebanho de 9,2 milhões de cabeças, com vigilância sanitária redobrada, que começa nesta sexta-feira (1º). A medida acontecerá duas vezes por ano, nos meses de maio e novembro, e ficará a cargo da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), com apoio dos municípios.

“Menos dinheiro e mais parcerias são as principais mensagens para os prefeitos. Agricultura é pesquisa, assistência, inovação e sanidade. Temos que apoiar quem mais precisa no campo, com ambientes sanitariamente corretos, além da preocupação com os mais vulneráveis”, afirmou Norberto Ortigara.

Fortalecimento – O secretário também destacou as ações do Estado para o fortalecimento das pequenas cooperativas e associações familiares, e as novas estruturas da fruticultura, silvicultura e horticultura. “Temos que desenvolver tudo aquilo que coopera para que o Estado e municípios tenham agendas comuns, somando reforços, recursos e técnicos. Agricultura trata de gente que precisa de apoio para se fortalecer cada vez mais”, complementou.

Ortigara também citou a preocupação com quem ainda não se alimenta direito no Estado e a compra, com distribuição simultânea, a partir de 2020, de cozinhas comunitárias, restaurantes populares e três merendas nas escolas.

“Planejamos o crescimento da agricultura familiar e o incentivo aos orgânicos. O Paraná se comprometeu a utilizar 100% de alimentos orgânicos nas merendas até 2030. Há uma atenção humana e técnica, uma força de todos os poderes”, afirmou o secretário. “Os nossos programas pensam no desenvolvimento social e sustentável”.

Mais Cidades – Ortigara também afirmou que o governador Carlos Massa Ratinho Junior estabeleceu como meta usar parte dos R$ 351 milhões do programa Paraná Mais Cidades para aumentar a trafegabilidade das estradas rurais, fundamentais para o escoamento das produções agrícolas e da pecuária.