• quarta, 23 de agosto de 2017
  • Versão Impressa
  • Fale Conosco
  • 17º C

    Goioerê, 23 de agosto de 2017

    Hoje

    17º C Ensolarado

    26º C 16º C

    Esta semana

    27º C 18º C
    27º C 18º C
    28º C 17º C
    27º C 17º C
Saúde

Paraná é primeiro lugar na campanha de vacinação contra a gripe no Brasil

O Paraná está em primeiro lugar do país para a vacinação contra a gripe. Desde o início da campanha, em 17 de abril, o Estado já vacinou 53% da população-alvo, o que equivale a 1,5 milhão de doses aplicadas. O Dia D, momento em que as unidades de saúde ampliam seu horário de atendimento para atingir uma parcela maior da população, acontece neste sábado (13). 

Os grupos com melhores coberturas vacinais são as mulheres com até 45 dias após o parto (puérperas) e os idosos, com 66% e 62%, respectivamente. O apelo maior é para os pais, que devem levar os filhos até a unidade de saúde mais próxima da residência. As crianças fazem parte do grupo que menos vacinou até o momento, com 35% de cobertura. 

O público-alvo inclui grávidas – em qualquer período gestacional, idosos (com 60 anos ou mais), puérperas (até 45 dias após o parto), crianças de seis meses a quatro anos de idade, indígenas, profissionais de saúde, professores da rede pública e privada em atividade e portadores de algumas doenças crônicas – mediante prescrição médica. 

COBERTURA - A vacina, que está disponível em unidades de saúde em todo Paraná, protege contra os três vírus influenza mais circulantes: influenza A (H3) – sazonal, influenza A (H1N1) e influenza tipo B. A vacina é segura e só é contraindicada para pessoas com histórico de reação prévia ou alergia severa ao ovo de galinha e seus derivados. 

A campanha vai até o dia 26 de maio, entretanto recomenda-se que a população procure uma unidade de saúde o mais rápido possível. “A vacina leva cerca de 15 dias para começar a proteger e com a queda nas temperaturas é fundamental que os grupos com direito à vacina no sistema público busquem a proteção o quanto antes”, reforçou o coordenador estadual de Imunização, João Luís Crivellaro.