• domingo, 24 de setembro de 2017
  • Versão Impressa
  • Fale Conosco
  • 22º C

    Goioerê, 24 de setembro de 2017

    Hoje

    22º C Encoberto

    33º C 22º C

    Esta semana

    29º C 20º C
    28º C 20º C
    31º C 18º C
    32º C 20º C
Política

Nova escola segue, mas obras só serão entregues no ano que vem

Com uma área de 2.945 metros quadrados de construção, a primeira escola em tempo integral de Goioerê, segue com suas obras, mas a finalização da construção só deve ocorrer em 2018. A escola está sendo construída numa área denominada, denominada no Plano de Diretor de interesse social. A obra está localizada nas proximidades do Parque Industrial, entre a Vila Guaíra e Conjunto Águas Claras.

De acordo com o secretário de Educação, José Torres da Silva, o projeto inclui a edificação de 12 amplas salas de aula, quadra poliesportiva, pátio coberto, auditório, laboratório, sala de informática, biblioteca e ala administrativa para atender uma demanda de cerca de 430 alunos do Pré-escolar I e II e de 1º ao 5º Ano do Ensino Fundamental em período integral.

O secretário explica que a exemplo do que já acontece nos Centros de Educação Infantil, os alunos permanecerão o dia todo no ambiente escolar realizando em contra turno, atividades esportivas, musicalização, informática, oficina de artes, reforço escolar, dentre outras.

Torres cita que a escola é esperada por muitas famílias do seu entorno, principalmente moradores do Conjunto Águas Claras e parte da Vila Guaíra. “Estes dois bairros estão mais próximos, mas acreditamos que também teremos lá alunos do bairro Santa Casa”, comentou.

Para construção desse novo estabelecimento de ensino o município de Goioerê está investindo R$ 3.344.840,24 liberado através do Governo Federal. A previsão da Construtora Talento é de que as obras sejam concluídas nos primeiros meses do próximo ano.

O prefeito Pedro Coelho, que tem acompanhado a obra de perto, cita que algumas melhorias precisam ser feitas no local, como um muro de arrimo, cujos investimentos devem passar de R$ 500 mil. “Infelizmente não foi observado essa questão e para que a escola entre em funcionamento, vamos ter que fazer mais esse investimento”, citou.