Local

Copacol mobiliza produtores em mais uma Dia de Campo

Produtores de todas as regiões de atuação da Copacol, participaram durante esta semana, do tradicional Dia de Campo, evento que contou com palestras com demonstrações e painel, com os participantes podendo conhecer novas tecnologias e novos produtos oferecidos pela cooperativa.

O evento foi aberto com a participação do presidente da cooperativa, Valter Pitol, que aproveitou a oportunidade para falar da importância do Dia de Campo, como instrumento para ampliar o conhecimento dos produtores rurais.

Na sequência os cooperados tiveram a oportunidade de acompanhar palestra, com o consultor da FC Stone, Etori Baroni, que apresentou os cenários as a tendências do mercado agrícola e as oportunidades que devem ser aproveitadas pelos produtores.
Outro tema abordado no encontro foi a estria bacteriana: uma nova ameaça para a cultura do milho’, que inclusive foi uma doença que teve diagnosticada através de estudos e pesquisas desenvolvidas no CPA (Centro de Pesquisa Agrícola) da Copacol.

Aplicação de corretivos e fertilizantes a lanço, sistemas de produção para aumento de produtividade, e vitrine de cultivares de soja, foram assuntos abordados durante o primeiro dia do evento. E para encerrar foi servido almoço aos participantes.

Participaram os cooperados de Cafelândia, Jesuítas e Carajá, Iracema do Oeste, Jotaesse e Palmitolândia.

O consultor da FC Stone, Etori Baroni, disse que a expectativas de mercado são boas, mas o clima adverso, com baixa incidência de chuva e com isso caiu a expectativa de produção, que antes era de 19,8 milhões de toneladas e agora foi baixada para 17 milhões de toneladas em nível de estado do Paraná.

“Mesmo em nível nacional vamos ter uma queda de produção. Antes a estimativa era de 120 milhões de toneladas e agora já se trabalha com uma produção de entre 114 e 115 milhões de toneladas”, diz o especialista.

Ele disse que o produtor da Copacol já é munido de muita informação, uma vez que Cooperativa prover essas informações para o cooperado no dia a dia e agente que ele vem melhora a comercialização ano a ano.

Com relação ao milho safrinha que já começa a ser semeado na região, Baroni diz que visualiza um clima dentro da normalidade.

“A safra brasileira de soja foi antecipada e assim o milho também está sendo antecipado e isso vai possibilitar que a cultura possa evitar frio mais intenso que acontece no mês de julho e diante disso a expectativa é de boa produtividade e se isso se confirmar os limites de preços poderão ficar um pouco mais baixos”, explicou o consultor.

O cooperado Elci Dal Galo, que sempre participa dos Dias de Campo, mas uma vez aproveitou a oportunidade para conhecer as novas tecnologias para a produção de grãos.

“Isso aqui é uma vitrine, o que a gente vê aqui a gente tenta implantar em nossa propriedade, sabemos que não é fácil, mas é o primeiro passo. A gente tem que ter o conhecimento, a população ideal de semeadura, de variedades e com isso a gente vai implantado no campo as novas variedades. No ano passado eu experimentei uma variedade nova e hoje estou com 50% de minha área com essa variedade”, conta o produtor.

A cooperada de Jotaesse, Dulce Glingue, deixou de ir a campo colher a soja e tirou um tempinho para participar do Dia de Campo. Ela disse que sempre participa, pois é nos eventos como esse que se aprende a produzir mais.

“A Copacol para mim é uma família, sempre procurando melhor a genética, melhorar a produção e assim a vida do cooperado”, destaca Dulce.