• quarta, 17 de outubro de 2018
  • Versão Impressa
  • Fale Conosco
  • 22º C

    Goioerê, 17 de outubro de 2018

    Hoje

    22º C Nublado

    27º C 21º C

    Esta semana

    27º C 21º C
    27º C 20º C
    27º C 17º C
    27º C 15º C
Social

Caminhoneiros e agricultores se unem em ato cívico contra preço dos combustíveis

Agricultores e caminhoneiros de Goioerê, se uniram em ato cívico contra os preços abusivos dos combustíveis, em especial o óleo diesel. O ato foi realizado ontem, quando a cidade parou para acompanhar a carreata que cortou diversas ruas e avenidas da cidade.

Entidade do agronegócio, como a Aprosoja e o Sindicato Rural Patronal, participaram do ato pacifico que cobrou providências do governo federal. “Do jeito que está não dá”, disse o presidente da Aprosoja, Márcio Bonesi. “Todos estão sofrendo, pois o aumento dos combustíveis influi nos preços do mercado”, destaca o presidente do Sindicato Rural, Sérgio Fortis.

O ato de ontem também contou com a participação do presidente da Associação Comercial em Empresarial de Goioerê – ACIG. “Estamos aqui hoje, para mostrarmos ao governo federal nosso descontentamento. É preciso rever os preços dos combustíveis para que que possamos continuar produzindo e gerando renda para nossa cidade, estado e País”, disse Alexandre Cândido.

Diogo Zane, caminhoneiro, disse que sua classe não quer confusão e sim solução. “Nós só queremos que o governo seja justo na questão dos preços, pois do jeito que está não conseguimos trabalhar mais. Vamos ter que parar mesmo”, sentenciou.

O ato também contou com o apoio de políticos, como o prefeito Pedro Coelho, que fez questão de participar da carreata. “Temos que apoiar, pois além de ser agricultor, sou goioerense. Esse protesto é em favor de todos nós. Não só dos caminhoneiros”, citou.

O ato contou ainda com a participação de vans do transporte escolar. “Viemos apoiar, pois também estamos sendo prejudicados”, disse Floriano Santo, que preside provisoriamente a comissão que está formando a associação da categoria.

Solidariedade – Em solidariedade aos caminhoneiros, o comércio de Goioerê baixou suas portas na hora da carreata de ontem.