Copacol reconhece maiores índices em premiação do Projeto Excelência em Produtividade 460

Com o propósito de garantir melhores resultados em soja e milho entre os cooperados, a Copacol concluiu a primeira edição do Projeto Excelência em Produtividade 460. Os melhores resultados foram premiados com viagens aos Estados Unidos e hospedagens em um resort de Foz do Iguaçu.

A premiação foi transmitida pelo Canal Oficial da Copacol no Youtube e contou com uma retrospectiva da última safra, que sofreu com os efeitos da estiagem e o atraso na semeadura – mesmo assim, os resultados na lavoura foram satisfatórios – pesquisa feita pelo engenheiro agrônomo João Maurício Trentini Roy.

A abertura contou com a participação ao vivo do diretor-presidente, Valter Pitol, que enalteceu a importância de o produtor acompanhar as novas tecnologias. “É uma satisfação proporcionar essa premiação aos cooperados, que implantaram alta tecnologia em suas propriedades, gerada pela nossa equipe técnica. A Cooperativa agrega novas tecnologias para que o produtor tenha competitividade e tenha rentabilidade”.

Ao todo, 193 produtores estavam inscritos na primeira edição do Projeto Excelência em Produtividade 460, sob a orientação de 53 profissionais em uma área total de 11.091 hectares. A ação busca elevar o índice médio de produtividade dos cooperados para 180 sacas em soja e 280 sacas em milho – totalizando 460 sacas por alqueire – até 2023. “Com base no RG Copacol, que tem como propósitos a Rentabilidade e a Geração de Valor, ações que elevam o índice de produtividade são aplicadas entre os cooperados: na agricultura a meta é alcançarmos esses resultados e essa estratégia é importante para termos ganhos produtivos. Nossa avaliação é extremamente positiva em relação aos resultados”, afirma o gerente técnico e engenheiro agrônomo, Tiago Madalosso.

COMPARATIVO DE PRODUÇÃO
Na Copacol a média geral da última safra foi de 227 sacas de milho por alqueire e 161 sacas de soja, com um somatório de 388 sc/alq, 2,6% acima da média do estado do Paraná. Os produtores participantes do Projeto Excelência em Produtividade 460 tiveram uma média de 283 sacas de milho e 175 sacas em soja, que superou em 18% a média da Cooperativa. Já os 24 finalistas tiveram uma média de produção 201 sacas de soja, 360 sacas de milho. Os finalistas tiveram uma produção 45% superior a média da Cooperativa.

REGIONAIS E CRITÉRIOS
A área de abrangência da Cooperativa foi dividida em seis regionais – cada uma com condições climáticas e solos semelhantes. Durante a última safra, os produtores tiveram acompanhamento profissional para testes por meio do CPA (Centro de Produção Agrícola), para que fossem difundidas tecnologias orientadas pela Copacol. Para a premiação, além da produtividade, foram levados em consideração outros critérios: incremento de produtividade de soja e de milho (sacas por alqueire); rentabilidade do sistema (R$/ha); qualidade de grãos; atuação do cooperado; profissionalização técnica do cooperado; desempenho técnico do profissional e alavancas de produtividade.

PREMIADOS
O primeiro colocado geral, com 6.688 pontos, foi Hilário Schneider, que possui uma propriedade em Corbélia – engenheiro agrônomo, Vanei Tonini; e o segundo com 5.789 pontos, João Paulo Mariussi, que possui uma propriedade em Tupãssi – engenheiro agrônomo, André Luís de Moura. Tanto os produtores quanto os engenheiros foram contemplados com uma viagem aos Estados Unidos, onde conhecerão as técnicas de manejo norte-americanas. “É uma grande satisfação conseguirmos esse resultado, pois trabalhamos para melhorar as condições do solo e agregar tecnologias à lavoura. A Copacol sempre busca aumentar a produtividade dos cooperados com assistência técnica, inovação e medidas modernas”, afirma o cooperado Hilário Schneider.

Na segunda colocação geral, o cooperado João Paulo Mariussi atribui o resultado ao trabalho já consolidado ao longo dos anos na propriedade. “Realizamos um manejo diferenciado no controle de pragas e doenças. Mas o que impacta mais nos resultados é o manejo de solo – o que já faço há dez anos, por meio da agricultura de precisão, correção de PH e nutrientes em taxas certas”.

Entre as classificações regionais, a maior pontuação da Regional 1, com 5.624 pontos ficou Francis Paulo Debiazi– engenheiro agrônomo, Luiz Henrique Valcarenghi; Regional 2, 5.282 pontos, José Juvelino Cavalini– engenheiro agrônomo Everton Pontel de Cesaro; Regional 3, com 5.729 pontos, Evandro Carlos Schreiber– engenheiro agrônomo Edenilson Gonçalves Miguel; Regional 4, com 5.648 pontos, Mauro Euclides Carlucci – engenheiro agrônomo Jocimar Bortoluzzi; Regional 5, com 5.605 pontos, Celso Martini – engenheiro agrônomo Marcos André Simon; Regional 6, com 3.887 pontos, Valéria Eggert Sonsin – engenheiro agrônomo John Claier Gonçalves. Cada um dos cooperados e dos engenheiros ganhou uma viagem a Foz do Iguaçu, com direito a levar a esposa ou esposo.

PRÓXIMA EDIÇÃO 460
Já está em andamento a segunda edição do Projeto Excelência em Produtividade 460, com novos desafios em aumentar o ganho de produtividade. Uma das novidades é a incorporação da Regional 7, composta pelas unidades do sudoeste do Paraná.

Confira abaixo os 24 finalistas:
Regional 1: Nova Aurora e Palmitópolis
1º Francis Paulo Debiazi (Soja: 212,1 sc/alq; Milho: 297,9 sc/alq; Soma: 510 sc/alq (Luiz H. Valcarenghi)
2º Sidiney Dal Rovere (Soja: 179,3 sc/alq; Milho: 327,4 sc/alq; Soma: 506,7sc/alq) (Diego S. Wischneski)
3º Moacir Alexandre Esser (Soja: 165,4 sc/alq; Milho: 340,9 sc/alq; Soma: 506,3 sc/alq) (EdésioFávero)
4º Michael Locks Ferrari (Soja: 201,2 sc/alq; Milho: 301,3 sc/alq; Soma: 502,5 sc/alq) (Luiz H. Valcarenghi)

Regional 2: Jesuítas, Iracema e Carajás
1º José Juvelino Cavalini (Soja: 207,3 sc/alq; Milho: 369,2 sc/alq; Soma: 576,5 sc/alq) (Everton P. de Cesaro)
2º Oswaldo Lemke (Soja: 195,4 sc/alq; Milho: 295,4 sc/alq; Soma: 490,8 sc/alq) (Vanderlei A. Dickel)
3º Francisco L. D. Cardoso (Soja: 180 sc/alq; Milho: 306,6 sc/alq; Soma: 486,6 sc/alq) (Everton P. de Cesaro)
4º Antônio P. de Oliveira (Soja: 149,5 sc/alq; Milho: 326,4 sc/alq; Soma: 475,9 sc/alq) (Vanderlei A. Dickel)

Região 3: Jotaesse e Palmitolândia
1º Evandro C. Schreiber (Soja: 230,1 sc/alq; Milho: 420,3 sc/alq; Soma: 650,4 sc/alq) (EdenilsonG. Miguel)
2º João Paulo Mariussi (Soja: 243 sc/alq; Milho: 398,5 sc/alq; Soma: 641,5 sc/alq) (André L. de Moura)
3º Marcos Antônio Mariussi (Soja: 207,2 sc/alq; Milho: 407,4 sc/alq; Soma: 614,6 sc/alq) (André L. de Moura)
4º Maycon Luis Gottardi (Soja: 228,1 sc/alq; Milho: 359,4 sc/alq; Soma: 587,5 sc/alq) (André L. de Moura)

Regional 4: Goioerê e Universo
1º Sidiney Polato (Soja: 212,5 sc/alq; Milho: 438,7 sc/alq; Soma: 651,2 sc/alq) (Sergio Favarão)
2º Mauro Euclides Carlucci (Soja: 222,2 sc/alq; Milho: 419,3 sc/alq; Soma: 641,5 sc/alq) (Jocimar Bortoluzzi)
3º Antônio C. SestakFilho (Soja: 210,1 sc/alq; Milho: 374,0 sc/alq; Soma: 584,1 sc/alq) (Sergio Favarão)
4º Eduardo Costa Cassiano (Soja: 213,5 sc/alq; Milho: 369,1 sc/alq; Soma: 582,6 sc/alq) (Tiago Felipe Fedato)

Região 5: Cafelândia, Central Santa Cruz e Melissa
1º Hilário F. Schneider (Soja: 258,7 sc/alq; Milho: 509,1 sc/alq; Soma: 767,8 sc/alq) (Vanei Tonini)
2º Emir Paulo Schneider (Soja: 186,7 sc/alq; Milho: 497,4 sc/alq; Soma: 684,1 sc/alq) (Vanei Tonini)
3º Celso Martini (Soja: 218,1 sc/alq; Milho: 438,7 sc/alq; Soma: 656,8 sc/alq) (Marcos André Simon)
4º Agnaldo RogélioLopes (Soja: 225,5 sc/alq; Milho: 365,4 sc/alq; Soma: 590,9 sc/alq) (Gustavo M. Tortelli)

Regional 6: Formosa do Oeste
1º Pedro Adenir Paini (Soja: 172,9 sc/alq; Milho: 273,2 sc/alq; Soma: 446,1 sc/alq) (Wevister H. Lima)
2º Adriano M. Mendonça (Soja: 162,6 sc/alq; Milho: 281,3 sc/alq; Soma: 443,9 sc/alq) (Wevister H. Lima)
3º Mauro Ângelo Favorito (Soja: 153,9 sc/alq; Milho: 275,5 sc/alq; Soma: 429,4 sc/alq) (Dionatan M. Massariol)
4º Valéria EggertSonsin (Soja: 177 sc/alq; Milho: 250,3 sc/alq; Soma: 427,3 sc/alq) (John C. Gonçalves)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!